Automatica

10/03/2018 — 03/06/2018

Dreaming Awake

dreaming_02

TíTULO DO PROJETO

Dreaming Awake

local

Marres, Maastricht 

visitaçÃO

10/03/2018 – 03/06/2018

vídeo

Dreaming Awake

Curadoria

Luiza Mello

Valentijn Byvanck

Artistas

Luiz Zerbini

Daniel Steegmann Mangrané

Dominique Gonzalez-Foester

PRODUçÃO

Torsten Uerlings

Design do livro

João Doria

Equipe de montagem

Tymen Dekker

Looy Driesser

Jeroen Evertz

Ralf Nevels

Niklas van Woerden

Equipe de montagem do jardim

Robin Lock

Irene Walraven

Equipe de montagem Promenade 2

Martial Garfione

Milo Kusmic | 2K communicatie

Equipe de montagem Spiral Forest

Roman Soroko | Eidotech

Colaboradores do projeto

Yasmin Assade

Geralda Januário

Paulo Januário

Fotografia

Rob van Hoorn

Gert Jan van Rooij

Agradecimentos especiais

Automatica

Bill Bowen

Frederico Coelho

Drukkerij Tielen

Natacha Fink

Sebastiaan Hanekroot

Hexspoor

Ayumi Higuchi

Eduardo Kohn

Jorn Konijn

Mariana Mello

Marisa Mello

Jonas Ohlsson

Helena and John Plummer

Gladys Schincariol

Alexsandro Souza | Dínamo

UNICUM

Hans Vissers

Stichting de Vrolijkheid

Team Marres

A exposição Dreaming Awake apresentou uma floresta tropical em camadas. A umidade, o calor, os sons, a multiplicidade de espécies de tirar o fôlego na floresta Amazônica são formas invasivas em que uma paisagem se impõe sobre nós. Uma vez dentro, não há como escapar. A pressão do ambiente é tão poderosa e hipnotizante, que nos leva a um estado de sonho.   O projeto foi desenvolvido pela curadora Luiza Mello e pelo diretor da Marres Valentijn Byvanck em colaboração com os artistas Dominique Gonzalez-Foerster, Daniel Steegmann Mangrané e Luiz Zerbini.   Luiz Zerbini transformou o térreo do Marres em um ambiente imersivo com plantas naturais. Natureza espiritual da realidade é uma quase-pintura viva em que somos tocados pela umidade, calor, cheiro de terra molhada, decomposição das folhas, e onde nos maravilhamos com uma multiplicidade de cores e formas cuidadosamente colocadas no espaço pelo artista.   Subindo as escadas, o visitante se depara com novas camadas dessa floresta sonhada. Em Promenade 2, a artista francesa Dominique Gonzalez-Foerster nos convida a abstrair o mundo exterior e vivenciar o som de uma tempestade tropical. O espaço está vazio, a arquitetura se dissolve para que nossa atenção se volte completamente para aquele ambiente sonoro.   Daniel Steegmann Mangrané apresenta o filme Spiral Forest, onde uma câmera gira na Mata Atlântica criando movimentos interligados. O corpo do espectador gira em torno dessa espiral contínua e é projetado para dentro da floresta, entrando no fluxo da imagem em momento. O segundo trabalho, Phantom, é um ambiente de realidade virtual em que os visitantes, usando um Oculus Rift, entram e percorrem uma floresta escaneada em preto e branco.   A exposição Dreaming Awake foi realizada no Marres, Maastricht, Países Baixos, entre os dias 10 de março e 3 de junho de 2018.